Alunos do Curso Técnico em Vigilância em Saúde da ESP-SE/Funesa iniciam estágio na SES

postado em: Notícias | 0
Fotos: Coordenação de Educação Profissional

Os alunos do Curso Técnico em Vigilância em Saúde da Escola de Saúde Pública de Sergipe (ESP-SE), administrada pela Fundação Estadual de Saúde (Funesa), iniciaram, nesta segunda-feira, 04, a fase do estágio obrigatório, que acontece na Secretaria de Estado da Saúde (SES). Na oportunidade, os estudantes foram recebidos pela Diretoria de Planejamento da SES e pela equipe do Centro de Informações e Decisões Estratégicas em Saúde (CIDES), que junto a suas áreas técnicas darão suporte no processo, que deve ocorrer por cerca de um mês.

O estágio é uma etapa obrigatória para a formação técnica, onde os alunos vivenciam a prática profissional e realizam as associações com os ensinamentos teóricos. Nesse período, é possível exercitar habilidades técnicas, socialização, trabalho em equipe, relação de cuidado e a postura exigida para o profissional, que agrega ao processo de aprendizado, além do desenvolvimento profissional e pessoal.

Foto: Coordenação de Educação Profissional

Nesse primeiro momento, os alunos puderam conhecer todo o trabalho que é realizado no Centro de Informações e Decisões Estratégicas. Para o aluno Rogério Rocha Dias, é muito importante iniciar esse estágio, pois será uma vivência valorosa para a formação. “Vamos conhecer a realidade do trabalho, com os sistemas de informações e a importância da análise dos dados para o Planejamento, a exemplo do Sisvan (Sistema de Vigilância Alimentar e Tradicional) e Sinasc (Sistema de Informação sobre Nascidos Vivos). É muito positivo fazer esse comparativo de aprendizado. Dessa forma, faremos as discussões necessárias nas aulas, para futuras experiências”, afirmou.

A gerente do CIDES, Eliane Aparecida do Nascimento, ressaltou que é muito importante ter esse vínculo com os alunos do curso, porque a equipe de planejamento trabalha com gestão, a parte administrativa, com indicadores, instrumentos de planejamento, análises de situação de saúde. “É necessário que o trabalhador que produz a informação faça parte desse processo e que os estudantes observem que esses dados são utilizados para apoiar a gestão e técnicos nas tomadas de decisões. Estamos entusiasmados porque eles são muito participativos, e felizes porque estamos contribuindo com o aprendizado dessa turma. Acreditamos que essa experiência será fundamental para a qualificação profissional deles”.

Foto: Flávia Pacheco/SES

Segundo a coordenadora de Educação Profissional da ESP-SE/Funesa, Rosyanne Vasconcelos, é um momento necessário e motivador para os alunos. “A cada dia terão atividades diferentes com os técnicos do CIDES, para compreensão de todo processo de trabalho realizado. Essa fase coincidiu com o retorno das atividades presenciais do curso. Agradecemos a equipe do Cides e ao diretor de planejamento da SES, Davi Fraga, por oportunizar essa experiência aos nossos alunos e pela dedicação na construção dessa atividade”, disse.

 

 

 

 

Atualizado: