Brigada Itinerante de Combate ao Aedes aegypti encerra semestre com avaliação positiva

postado em: Notícias | 0
Foto: Míriam Donald

O trabalho da Brigada Itinerante de Combate ao Aedes aegypti encerrou o segundo semestre de 2019 com avaliação positiva. Para apresentar esses resultados, a Fundação Estadual de Saúde (Funesa), através da Coordenação de Promoção e Prevenção à Saúde (Copps) – responsável pelo serviço da Brigada – realizou, nesta quinta-feira, 19, uma reunião com os 100 agentes de endemias que realizam essa atividade.

A coordenadora de Promoção e Prevenção à Saúde da Funesa, Sandra Ribeiro, informou que foi apresentada uma síntese do trabalho realizado nesses quase seis meses de atuação, bem como o reconhecimento da valorosa contribuição de cada agente dessa força-tarefa. “Mostramos alguns dados do trabalho realizado nos 56 municípios visitados e enfatizamos a importância dessa missão na redução do foco de 26 municípios para 04 municípios que manifestaram alto risco, segundo o último LIRa (Levantamento de Índice Rápido do Aedes Aegypti), divulgado em novembro”.

Foto: Míriam Donald

Na ocasião, também houve um momento de reconhecimento e avaliação do trabalho desempenhado pelo grupo. Para a agente de endemias Lucineide de Souza, foi uma oportunidade incrível fazer um trabalho tão importante para a população sergipana. “Tivemos a oportunidade de estar na casa das pessoas, ajudar na parte educativa e tratamento focal. As nossas expectativas foram atingidas, pois os índices foram reduzidos. Isso só reforça a importância do trabalho do agente de endemias, cumprindo com os requisitos do nosso ofício, que é ajudar as pessoas e famílias no combate à Dengue. É relevante salientar que a sociedade encarou esse trabalho positivamente. As pessoas abriram as portas das suas residências para que pudéssemos realizar nosso papel. É gratificante”, relatou.

Dentre os espaços trabalhados nesse período, foram contabilizados quase 146 mil imóveis. Sidney Sá, gerente do Núcleo de Endemias da Secretaria de Estado da Saúde (SES) – que demanda o serviço –, afirmou que a ação da Brigada nesses meses foi extremamente positiva, pois complementou as atividades que já vinham sendo realizadas pelos Municípios, resultando na diminuição do foco. “Vale ressaltar que essa somação de esforços contribuiu para uma redução significativa da incidência do vetor. Esperamos continuar com esse trabalho para que haja maior redução do número de casos, evitando óbitos, pois o Estado passou por um momento preocupante. Em breve analisaremos onde é intensificar ações e melhorar esse. Nosso objetivo é manter sob controle o que registramos nos dois últimos meses, no que se refere ao número de casos e índices de infestação”.

Foto: Míriam Donald

Outra pauta abordada com os agentes da Brigada foi a previsão para 2020. “De 06 a 10 de janeiro faremos atualização com o grupo, alinhando os processos de trabalho para sanar falhas e desempenhar de formas cada vez mais resolutivas e eficazes no combate ao vetor das arboviroses (Dengue, Zika e Chikungunya) que leva prejuízo à população”, disse Sandra.

Educação em Saúde

Um das metas do serviço da Brigada é a educação em saúde, quando uma parte da equipe da Brigada vai às escolas, fazendo a conscientização, de forma lúdica e através de material informativo, paralelo ao trabalho de combate ao vetor, realizado nos imóveis. De julho até o momento a educação em saúde foi realizada em 202 turmas de 18 municípios, atingindo mais de 5.800 participantes.

 

Atualizado: