“Abordagem ambulatorial das síndromes hipertensivas na gestação” é tema de tele-educação

postado em: Notícias | 0
Foto: Ricardo Pinho

Com o tema “Abordagem ambulatorial das síndromes hipertensivas na gestação”, a tele-educação ocorrida nesta sexta-feira (05) discutiu sobre a atualização clínica das síndromes hipertensivas na gestação, desde o diagnóstico à terapêutica ambulatorial, além da apresentação de uma experiência de organização do cuidado a gestantes em uma UBS (Unidade Básica de Saúde). Na oportunidade, também foi apresentado o serviço de pré-natal de alto risco no Centro de Atenção Integral à Saúde da Mulher (CAISM/SE). Operacionalizada pelo Telessaúde Sergipe, núcleo administrado pela Fundação Estadual de Saúde (Funesa), a ação é realizada em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SES).

Ministrada pela médica ginecologista e obstetra Maria Carolina Andrade Maia, a webpalestra teve o objetivo de qualificar essas condutas, bem como apresentar melhorias nos processos e retaguardas para cada caso, de acordo com um padrão referenciado na mais atualizada literatura da área. Durante a aula, Maria Carolina fez orientações sobre procedimentos e condutas clínicas padronizadas na assistência de mulheres com risco ou diagnóstico da condição de saúde com maior impacto na mortalidade materna: a hipertensão arterial. O objetivo da ação foi qualificar essas condutas, bem como apresentar melhorias nos processos e retaguardas para cada caso, conforme um padrão referenciado na mais atualizada literatura da área.

Foto: Ricardo Pinho

A ginecologista e obstetra apresentou dados sobre as Síndromes Hipertensivas na gestação, que em todo o mundo constituem-se em importante causa de morbimortalidade materna e perinatal, responsáveis por 10% a 15% das mortes diretas ou indiretas, onde 99% dessas mortes ocorrem em países subdesenvolvidos ou em desenvolvimento. Também foram abordados: conceitos sobre pré-eclâmpsia, hipertensão arterial crônica, pré-eclâmpsia sobreposta à HAC e hipertensão gestacional; anamnese; exame físico; aferimento de pressão arterial; diagnósticos; critérios de gravidade e prevenção da pré-eclâmpsia; tratamento; monitoração fetal; orientações sobre hipertensão para gestantes; conduta na Síndrome Hipertensiva; conduta na urgência hipertensiva; conduta na eclâmpsia; critérios diagnósticos e condutas na HELLP Síndrome, além de questões relacionadas.

Presente na webaula, a enfermeira obstetra e gerente assistencial do CAISM, Zaira Moura da Paixão Freitas, falou sobre o serviço realizado na respectiva unidade, como fluxo, protocolos de atendimento, triagem e outras necessidades. De acordo com Zaira, o CAISM oferta consultas, exames e procedimentos especializados para a prevenção, diagnóstico precoce, tratamento e condução para a assistência à saúde em nível terciário. “Nossos principais focos de atuação é o pré-natal de alto risco; prevenção e diagnóstico de cânceres mamários; prevenção e diagnóstico de cânceres ginecológicos; e exames de imagem e laboratoriais. Gestantes com síndromes hipertensivas fazem parte do perfil de gestantes que atendemos”, disse.

A webpalestra registrou a participação de 50 municípios de três estados brasileiros. “Hoje trouxemos a discussão de um tema que influencia diretamente no cuidado à gestante, que contribui com a qualificação dos profissionais das unidades ambulatoriais de saúde para identificação e tratamento da patologia”, destacou a coordenadora do Telessaúde Sergipe, Eneida Ferreira.

 

Atualizado: